Pesquisasearch

reserved-access

Acesso
Clientes

HOMEBANKING

reserved-access

Acesso
Parceiros

Perguntas Frequentes

FAQ

Perguntas & Respostas

O Banco Credibom coloca ao seu dispor um conjunto de soluções simples e rápidas.
Se tiver algum questão não deixe de consultar os tópicos de ajuda que se encontram nesta página.

Se preferir, pode contactar-nos por email ou telefone. Teremos todo o gosto em prestar-lhe os esclarecimentos necessários.

  • Questões Pré Financiamento

  • Questões Após Financiamento

  • Cartao de Credito

  • COVID-19

  • Reclamações

  • Quais os documentos necessários para solicitar um pedido de crédito?

    Para facilitar o processo, deverá ter presentes os seus documentos de identificação, bem como os seus comprovativos de rendimento para dispor de imediato da informação solicitada:

    • Cartão de Cidadão ou Bilhete de Identidade e Cartão de Contribuinte

    • Comprovativo de Morada (Água, Luz ou Telefone – 1 dos 3 últimos meses)

    • Comprovativo de Rendimento (IRS e o último recibo ou os 3 últimos recibos)

    • Comprovativo do NIB

  • Em quanto tempo tenho o montante de crédito disponível?

    Após a recepção do contrato nas instalações Credibom e após confirmação e validação de todos os dados facultados, a transferência do seu crédito será realizada em 48 horas.

  • Em quanto tempo tenho uma resposta?

    A resposta é dada num máximo de 24 horas.

  • Posso alterar o NIB/ IBAN para cobrança das mensalidades?

    A alteração do IBAN pode ser efetuada via ATM (Multibanco) ou HomeBanking (neste último caso, desde que as ambas as contas pertençam ao banco que está a enviar a alteração).

    Alteração passo a passo:

    1. Titular acede ao MULTIBANCO com o cartão associado ao IBAN que se pretende alterar, e inicia a operativa, selecionando a opção “Transferências e Débitos Diretos”, seguida de “Débitos Diretos”;
    2. Identificar e selecionar o mandato a alterar, associado ao “Banco Credibom”, seguido da opção “Alteração IBAN da autorização”
    3. Neste momento é solicitada a introdução dos últimos 4 dígitos do cartão bancário da nova conta.
    4. Após remoção do cartão MULTIBANCO da conta original é solicitada a inserção do novo cartão (associado à nova conta bancária para débito), com introdução normal do PIN, seguida de confirmação da operação para finalização do processo.
    5. É emitido talão com confirmação da operação e indicação do novo IBAN associado ao mandato.

    Nota: Caso o cartão inserido não tenha os últimos 4 dígitos iguais aos introduzidos no passo 3, a operação de alteração é abortada automaticamente e todo o processo deverá ser repetido.

    Caso tenha alguma dificuldade no procedimento acima descrito solicitamos por favor que contacte o Serviço de Atendimento a Clientes.

  • Quando posso amortizar o contrato de crédito a decorrer?

    Poderá efetuar amortizações parciais ou na sua totalidade sempre que pretenda, bastando notificar o Credibom com um aviso prévio de 30 dias, por carta ou através do endereço de e-mail [email protected]

     

  • Quanto tenho que pagar para amortizar o contrato de crédito a decorrer?

    Se o contrato é particular e foi efetuado após 1 de Julho de 2009, o valor da comissão por liquidação / reembolso antecipado, total ou parcial, é regulada pelo DL 133/2009 de 1 Junho. Se o contrato é empresa ou efetuado antes de 1 de Julho de 2009, o valor da comissão por liquidação / reembolso antecipado, total ou parcial, é regulada pelo DL359/91 de 21 de Setembro. Excluem-se do pagamento desta comissão por liquidação / reembolso antecipado os produtos: cartão de crédito, linhas de crédito e contas correntes.

  • O que preciso fazer para amortizar o contrato de crédito a decorrer?

    Basta enviar um pedido para o efeito, por carta ou através do endereço de e-mail [email protected], devidamente assinado conforme documento de identificação, acompanhado pela cópia do referido documento e com a indicação do valor a amortizar bem como o que pretende com esta amortização/pagamento: redução do valor da mensalidade mantendo o prazo inicial do contrato ou redução do prazo vincendo mantendo o valor da mensalidade. Nas 48 horas posteriores o Banco Credibom enviará uma simulação, de acordo com a sua pretensão, bem como uma entidade e referência para que possa efectuar o referido pagamento em ATM.

     

  • Quero modificar a data de cobrança da prestação do meu contrato?

    Caso pretenda alterar a data de débito das prestações será apenas necessário que envie um pedido, por carta ou através do endereço de e-mail [email protected], assinado conforme documento de identificação, acompanhado pela cópia do referido documento e com a indicação do dia em que pretende que sejam cobradas as prestações. A 1ª alteração está isenta de qualquer comissão administrativa, acrescendo no entanto na prestação seguinte à alteração, os juros corridos desde o dia actual da cobrança até á nova data de cobrança, mantendo as restante prestações o valor previsto no Plano de Pagamentos inicial. Nas 48 horas posteriores o Banco Credibom enviará o valor dos juros corridos acima referidas e do total desta mensalidade, solicitando de seguida o seu acordo para a alteração da mesma. Em alterações posteriores, além da componente de juros corridos, estão sujeitas a uma comissão administrativa, de acordo com o previsto no preçário actualmente em vigor. Excluem-se da possibilidade de alteração da data de cobrança os produtos: cartão de crédito, linhas de crédito e contas correntes.

  • Quero liquidar a totalidade contrato de crédito a decorrer?

    Envie um pedido para o efeito, por carta ou através do endereço de e-mail [email protected], assinado conforme documento de identificação, acompanhado pela cópia do referido documento e a indicação do dia em que pretende efectuar o pagamento. Nas 48 horas posteriores o Banco Credibom enviará uma simulação, com o cálculo do valor de liquidação para a data indicada, bem como uma entidade e referência para que possa efectuar o referido pagamento em ATM.

  • Quero alterar a morada associada ao meu contrato?

    Envie por carta ou através do endereço de e-mail [email protected], um pedido para o efeito, devidamente assinado conforme documento de identificação, acompanhado de cópia do documento de identificação e comprovativo de morada recente da seguinte forma: ? Morada em seu nome: cópia de factura de água / luz / gás / telefone; extracto bancário; Atestado de Residência da Junta de Freguesia devidamente autenticado; Nota de Liquidação enviada pela DGCI; ? Morada em nome de terceiros: cópia de contrato de arrendamento (se casa arrendada); se habitação profissional: nome no comprovativo tem de ser igual ao nome da entidade empregadora no recibo de vencimento.

  • Quero ceder a minha posição contratual a um Cliente particular?

    Caso se trate para um particular, será necessário que envie por carta ou através do endereço de e-mail [email protected], a documentação abaixo descrita:

    - Declaração onde ambas as partes (quem cede e quem aceita) mencionam essa intenção e assinam conforme documento de identificação;

    - Fotocópia (frente e verso) do documento de identificação do novo titular (e cônjuge, se aplicável);

    - Comprovativo de morada do novo titular (cópia de factura de água / luz / gás / telefone; extracto bancário);

    - Comprovativo de rendimentos do novo titular (fotocópia da última Declaração de IRS e respectivos anexos, acompanhada por um dos três últimos recibos de vencimento);

    - Comprovativo do IBAN/NIB (último extrato bancário, caderneta, ou declaração do Banco);

    Após o envio da documentação anteriormente indicada será efectuada uma análise e tomada uma decisão sobre o pedido de V. Exa. Não obstante, informamos que o pedido em questão é sempre sujeito à aceitação por parte do Banco Credibom e implica sempre a formalização de um novo contrato de crédito para o novo titular (com novas condições) que, após aceitação e formalização, substituirá o contrato em curso, pelo que as condições que determinaram o cálculo da nova prestação inicial serão também distintas (capital em divida, prazo remanescente e, eventualmente, a taxa de juro a vigorar).

  • Quero ceder a posição contratual a uma Empresa?

    Se o novo interveniente no contrato for uma Empresa, será necessário o por carta ou através do endereço de e-mail [email protected], a documentação abaixo descrita:

    - Certidão da Conservatória do Registo Comercial atualizada;

    - Última declaração anual de rendimentos (I.R.C.) e respectivos anexos;

    - Informação Empresarial Simplificada (I.E.S.); ? Último balancete disponível;

    - Comprovativo do IBAN/NIB (último extrato bancário, caderneta, ou declaração do Banco);

    - Fotocópia (frente e verso) do documento de identificação do(s) sócio(s) gerente(s);

    - Comprovativo de morada do(s) sócio(s) gerente(s): cópia de factura de água / luz / gás / telefone;

    - Comprovativo do IBAN/NIB do(s) sócio(s) gerente(s): último extrato bancário, caderneta, ou declaração do Banco;

    Após o envio da documentação anteriormente indicada será efectuada uma análise e tomada uma decisão sobre o pedido de V. Exa. Em todo o caso, informamos que o pedido em questão está sempre sujeito à aceitação por parte do Banco Credibom e implica sempre a formalização de um novo contrato de crédito para o novo titular (com novas condições) que, após aceitação e formalização, substituirá o contrato em curso, pelo que as condições que determinaram o cálculo da nova prestação inicial serão também distintas (capital em divida, prazo remanescente e, eventualmente, a taxa de juro a vigorar).

  • Inserir o meu contrato no PARI?

    No âmbito do Plano de Acção para o Risco de Incumprimento (PARI), previsto no Decreto-Lei 227/2012 de 25 de Outubro, nomeadamente nos termos do nº 2 do artigo 10º do referido diploma, deverá remeter por carta ou através do endereço de e-mail [email protected], as seguintes informações e documentos, para que seja possível efectuar uma avaliação da sua capacidade financeira:

    - Informação sobre situação familiar (estado civil actual e composição do agregado familiar);

    - Declaração detalhada dos encargos mensais do agregado familiar, anexando cópias:

    - Recibo de renda ou comprovativo de pagamento de prestação referente a crédito à habitação;

    - Facturas/Recibos de serviços essências (água, luz, gás, telefone, transportes);

    - Encargos decorrentes da celebração/incumprimento de contratos de crédito, incluindo os celebrados com outras instituições de crédito;

    - Informação sobre situação profissional actual, com indicação dos rendimentos auferidos, anexando os seguintes documentos:

    - Última Declaração de IRS apresentada e, quando já disponível, a Nota de Liquidação do IRS;

    - Comprovativo de rendimentos dos 3 últimos meses ou comprovativo de situação de desemprego;

    - Declaração sobre a existência de acções executivas, processos de execução fiscal ou da Segurança Social pendentes, identificados com o número de processo e tribunal/repartição.

    Mais informamos que, nos termos do nº 3 do artigo 10º do Decreto-Lei acima referido, estes documentos devem ser disponibilizados ao Banco Credibom no prazo máximo de 10 dias a contar da data da presente notificação, sob pena de considerarmos o seu processo sem efeito.

  • Quero receber uma 2ª via do Modelo 6 (modelo de legalização automóvel) para a morada do meu contrato?

    Para tal, deverá efetuar o pagamento prévio da comissão administrativa para definida para o efeito, de acordo com o preçário em vigor, e enviar o respectivo comprovativo para o endereço de e-mail [email protected], acompanhado pelo pedido formal e cópia do Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão actualizado. Deverá certificar-se que a morada do contrato está atualizada. Anexe ao pedido um comprovativo de morada recente (cópia de factura de água / luz / gás / telefone; extracto bancário; Atestado de Residência da Junta de Freguesia devidamente autenticado; Nota de Liquidação enviada pela DGCI), se pretender alterar a morada para receção do mesmo.

  • Quero solicitar o Modelo 6 (modelo de legalização automóvel) para destinatário diferente do titular do contrato?

    Para que o Banco Credibom proceda à emissão do Modelo para extinção de reserva da viatura para uma terceira pessoa, não interveniente no contrato, e necessário uma autorização escrita do titular do contrato. Deverá efectuar o pagamento prévio da comissão administrativa para o efeito, de acordo com o preçário em vigor, remeter para o endereço de e-mail [email protected] o comprovativo do respectivo pagamento, acompanhado de uma autorização escrita do cliente, cópia do documento de identificação actualizado, com indicação do nome e morada da pessoa que irá recepcionar o modelo. Na eventualidade de se tratar da emissão de uma 2ª via do modelo 6 para a morada de um terceiro, aplicar-se-á também a comissão administrativa de 2ª via, conforme indicado no ponto anterior.

  • Quero efetuar uma alteração à viatura associada ao contrato

    Será necessário remeter para o Credibom por carta ou através do endereço de e-mail [email protected], um pedido para o efeito, devidamente assinado conforme documento de identificação, acompanhado de cópia do documento de identificação e uma cópia do Documento Único Automóvel da nova viatura a associar ao contrato. Esta alteração dará lugar à emissão de uma adenda ao contrato de crédito e a alteração é sujeita a uma comissão administrativa, apenas em caso de aprovação, que poderá consultar no preçário em vigor.

  • Consultar online os dados do meu contrato?

    Para consultar a informação sobre o(s) seu(s) contrato(s), pode fazê-lo através do Homebanking Credibom, cujo link também se encontra no topo direito do site.

  • Como ativar uma cobertura do seguro de proteção ao Crédito?

    É importante que assim que tenha conhecimento da ocorrência, a participe junto do nosso Departamento de Relação com o Cliente, que lhe disponibilizará os formulários da seguradora que deverá preencher, bem como os documentos essenciais para análise do incidente que gerou a necessidade de cobertura.

     

    Depois deverá proceder ao envio de toda a documentação para o Gestor de Sinistros da CACI, ou seja para a Marsh Lda, cuja morada é Rua António Pedro, 111, Lisboa 1150-045. Assim que o seu processo estiver completo e com o gestor de sinistros, será analisado e ser-lhe-á dada uma resposta com a maior brevidade possível.

  • Como posso pedir um Cartão de Crédito?

    A comercialização dos cartões de crédito, neste momento, ainda não está difundida para todos os clientes Credibom e para o público, no geral. Assim que tenhamos tudo preparado para oferecermos um produto e um serviço de excelência, comunicaremos.

  • O que é o contactless?

    Os cartões contactless são cartões de pagamento com tecnologia de leitura por aproximação. Estes cartões permitem fazer pagamentos sem ter de introduzir o PIN: para o efeito, basta aproximar o cartão (normalmente, a menos de 4 centímetros de distância) de um terminal de pagamento automático (TPA) preparado para receber pagamentos contactless. Os cartões e os TPA com tecnologia contactless são identificados com o seguinte símbolo 

  • O que é o MB WAY?

    O MB WAY é a solução MULTIBANCO que permite fazer compras online e em lojas físicas, gerar cartões virtuais MB NET, enviar, pedir dinheiro e dividir a conta e ainda utilizar e levantar dinheiro através do smartphone, numa app própria ou nos canais do banco. Para já, ficarão disponíveis os serviços de adesão e cancelamento do serviço, pagamentos através de QR Code ou nº de telemóvel. A utilização de qualquer serviço associado ao MW WAY, será totalmente gratuito para o cliente.

  • Fui alvo de uma campanha de marketing e já pedi o meu cartão. Ainda não recebi.

    Se tiver alguma dúvida ou questão relativamente ao seu cartão de crédito, deverá ligar para 214 138 457

  • Como activar o meu cartão de crédito?

    Para activar o cartão de crédito, basta ligar para 214 138 573

  • O que é e como funciona a Autenticação Forte?

    A autenticação Forte é um serviço gratuito que permite dotar os cartões de meios de autenticar as transações e-commerce e cumprindo com os requisitos da Comissão Europeia para os meios de pagamento. A Autenticação Forte reduz a fraude, o que torna mais seguro o comércio online.

    Para autenticar uma transação deverá ter instalada a App do MB Way, com o cartão de crédito do Credibom associado. Sempre que é feita uma compra online, numa loja online adaptada ao novo regulamento, irá receber uma notificação da App MB WAY para autorizar a transação.

    Sempre que altere o número do telemóvel deverá atualizar essa informação junto do Banco Credibom, de forma a receber as notificações para autenticação das transações.

  • Perdi/roubaram-me o cartão. O que faço?

    Para que o cartão seja bloqueado de imediato, deverá ligar para 214 138 573, entre as 9h e as 19h. Fora deste horário, deverá ligar para 808 201 251 ou 217 918 780 (custo de chamada local) ou do estrageiro para (00 351) 217 918 780.

  • O que é a moratória?

    A moratória consiste numa suspensão de pagamento, que poderá ser integral ou parcial, podendo revestir-se das seguintes formas:

    1. Carência de capital: mantendo-se o pagamento de juros durante o período que dure a moratória; o prazo do contrato irá ser prolongado pelo exacto período da moratória; a prestação mensal não sofrerá alterações.
    2. Carência de capital e juros: suspensão integral dos pagamentos durante o período da moratória; os juros desse período serão cobrados nas prestações imediatamente seguintes ao final da moratória, podendo manter-se o valor da prestação e prolongado o prazo do contrato ou, em alternativa, manter o prazo do contrato inalterado (apenas com o prolongamento dos meses de carência) e aumentar a prestação. 

     

    Em todos os novos pedidos de moratória, o Banco Credibom poderá enviar-lhe, a pedido e sem qualquer custo, uma simulação da alteração das condições financeiras do seu contrato, para que possa tomar a decisão na posse de toda a informação e com total transparência.
    No caso dos contratos que beneficiem da extensão automática de Março de 2021 até Setembro de 2021 prevista na moratória pública, as soluções aplicadas serão as previstas no regime legal em vigor.

  • Quem pode aceder à moratória?

    A moratória pública é um regime excepcional aprovado pelo governo (Decreto-Lei nº 10-J/2020, alterado pelo Decreto-Lei nº 26/2020, Lei 27-A de 24 de Julho, Decreto-Lei n.º 78-A/2020 de 29 de Setembro e Decreto-Lei n.º 107/2020 de 31 de Dezembro) aplicável, no caso do Banco Credibom, apenas às empresas, trabalhadores independentes e profissionais liberais que tenham obtido o seu crédito no âmbito da sua actividade profissional ou a particulares com créditos com finalidade educação. O acesso a esta moratória está condicionado à verificação das condições de elegibilidade previstas no Decreto-Lei nº 10-J/2020, a saber

    • Ter a sua sede ou exercer a sua actividade económica em Portugal;

    • À data de 1 de Janeiro de 2021, não estejam, com o Banco Credibom, em mora ou em incumprimento de prestações há mais de 90 dias;

    • Não se encontrem em situação de insolvência, ou suspensão ou cessão de pagamentos;

    • Tenham a situação regularizada na aceção, respetivamente, do Código de Procedimento e de Processo Tributário e do Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social, não relevando até ao dia 30 de abril de 2020, para este efeito, as dívidas constituídas no mês de março de 2020; ou

    • Tenham uma situação irregular cuja dívida seja de montante inferior a 5000 €; ou

    • Tenham em curso processo negocial de regularização do incumprimento; ou

    • Realizem pedido de regularização da situação antes do pedido de adesão à Moratória Pública, cujo prazo termina em 31 de março de 2021.

     

    Poderão ser solicitados pedidos de adesão à moratória pública até 31 de março de 2021. Os pedidos poderão ser efetuados por clientes cujos contratos celebrados com o Credibom nunca foram enquadrados no regime da… moratória ou já o tendo sido os efeitos das moratórias tenham tido uma duração inferior a 9 meses.

     

    Caso possua um contrato atualmente integrado no regime de moratória pública com efeitos até 31 de março de 2021 ou data posterior não precisa de solicitar novo pedido de adesão.

     

    Pese embora esta restrição, o Banco Credibom optou por disponibilizar uma moratória privada a todos os seus clientes, titulares de produtos de Crédito Automóvel (incluindo ALD e Leasing) e Crédito ao Consumo (incluindo Crédito Pessoal) porém o prazo para novas adesões terminou a 30 de junho de 2020.

     

  • Quais são os custos com a moratória?

    A acesso à moratória está isento de comissões. Salientamos, no entanto, que a moratória não o isenta do pagamento dos juros relativos ao período de carência nem de outros valores que se encontrem em dívida à data do pedido, como sejam comissões, juros de mora, etc. 

     

  • O período de carência está isento de juros?

    Não, durante o período de carência mantém-se o cálculo mensal de juros, à taxa contratada. Dependendo da sua opção, poderá manter o pagamento mensal dos juros, ou remeter o seu pagamento para o final do período de carência. 

     

  • De que forma pode a moratória ser efectuada?

    O Banco privilegia os canais digitais e todos os pedidos relacionados com moratórias deverão ser efectuados por via digital através:

    • Email: [email protected]

    • Portal de clientes: https://my.credibom.pt/Homebanking/#/login

    Em ambos os casos deverão ser anexados os documentos necessários quando aplicável para completar o seu pedido.

     

  • Quem pode solicitar a moratória?

    No caso da moratória pública os pedidos deverão ser executados da seguinte forma:

    Novos pedidos de adesão ou pedidos de retoma da moratória para contratos cuja moratória tenha sido interrompida ou cuja retoma do plano de pagamentos ocorra em Janeiro ou Fevereiro de 2021:

    • Para créditos para fins profissionais tutelados por particulares, incluindo trabalhadores independentes e profissionais liberais, o pedido da moratória deverá ser efectuado pelo titular do contrato devendo anexar cópia do documento de identificação.

    • No caso de o crédito ser titulado por uma empresa deverão ser os representantes legais da empresa a proceder à assinatura do formulário.


    Pedidos de não extensão automática até 30 de setembro de 2021:

    • Para créditos para fins profissionais tutelados por trabalhadores independentes, profissionais liberais, etc. o pedido da moratória deverá ser efectuado pelo titular do contrato utilizando o e-mail registado no contrato de crédito ou utilizado para efeitos de pedido da moratória inicial.

    • No caso de o crédito ser titulado por uma empresa deverá o pedido ser remetido pelo e-mail registado no contrato de crédito ou email oficial da empresa.

    Em ambos os casos deverá ser utilizado o email [email protected].

    No caso da moratória privada, a partir de 30 de Junho de 2020 que não são aceites novos pedidos de moratória.

     

  • Qual o período máximo da moratória?

    A moratória poderá aplicar-se até:

    - Moratória Pública:

    30 de Setembro de 2021 (extensão automática no caso de moratórias que estejam em vigor até Março de 2021).

    • Até ao máximo de 9 meses para pedidos de adesão que sejam efectuados até 31 de Março de 2021, sendo que para contratos que anteriormente acederam à moratória e se tenham entretanto interrompido por opção do cliente, o prazo máximo será o período em falta até perfazer os 9 meses no total.

    - Moratória Privada ASFAC: Não aplicável (esta moratória terminou em 31 de Dezembro de 2020).

     

  • Tendo uma moratória em curso, de que forma poderei proceder à extensão da mesma?

    Moratória Pública: Todos os clientes que tenham aderido à moratória pública e cuja retoma do pagamento normal das prestações se preveja em Abril de 2021 terão, salvo pedido expresso do próprio em contrário, a sua moratória automaticamente prolongada até Setembro de 2021, porém os benefícios da mesma dependerão da actividade económica que desempenham:

    • Entidades beneficiárias cuja actividade económica não seja considerada sensível: carência de capital.

    • Entidades beneficiárias cuja atividade principal seja considerada sensível: carência de capital e juros.

     

    Moratória Privada ASFAC: esta moratória já não se encontra em vigor.

     

  • Como devo proceder caso não pretenda prolongar a moratória além de Março de 2021?

    Para a moratória pública, no caso de não pretender que a moratória seja prolongada até Setembro de 2021 deverá remeter-nos pedido formal nesse sentido. Este pedido deverá ser remetido ao Banco Credibom até ao dia 28 de Fevereiro de 2021 . O Banco privilegia os canais digitais e todos os pedidos deverão ser efectuados por via digital através:

    • Email: [email protected]
    • Portal de clientes: https://my.credibom.pt/Homebanking/#/login

     

    No caso de o pedido ser efectuado por email deverá o mesmo ser enviado indicando o assunto "#COVID – Não prolongamento de moratória" com a identificação do número do Contrato de Crédito.

    Para os clientes que tenham aderido à moratória privada não se prevê qualquer prolongamento da mesma, pelo que não necessita de desenvolver qualquer ação.

  • Já tendo beneficiado de uma moratória que entretanto terminou, poderei usufruir de um novo período ?

    Para a moratória pública, e se a moratória referente ao mesmo contrato que já beneficiou tiver durado menos de 9 meses, poderá beneficiar de um novo período de moratória o qual não poderá ser superior a 9 meses considerando o período já utilizado mais o novo período pretendido.

     

    Exemplo 1: o contrato A teve uma moratória activa entre Abril e Setembro de 2020 (6 meses) tendo retomado o plano de pagamentos em Outubro de 2020. Poderá aceder a uma nova moratória até 3 meses adicionais desde que respeitando as condições de elegibilidade e se o pedido for efectuado até 31 de Março de 2021.

     

    Exemplo 2: o contrato B teve uma moratória activa entre Abril e Dezembro de 2020 (9 meses) tendo retomado o plano de pagamentos em Janeiro de 2021. Não poderá aceder a uma nova moratória uma vez que já beneficiou de um total de 9 meses de moratória.

     

    Para os clientes que tenham aderido à moratória privada não se prevê a atribuição de qualquer período adicional de moratória.

     

  • Como são cobrados os juros do período de moratória?

    A cobrança dos juros depende da modalidade de reestruturação decidida pelo cliente.

    • Carência de Capital: mantém-se o pagamento mensal dos juros contratuais e o contrato será prolongado na exacta medida do período de carência. Para determinar o valor mensal dos juros, poderá consultar o seu extracto mensal ou o plano de pagamentos.

    • Carência de Capital e Juros, com manutenção do valor da prestação: suspensão total dos pagamentos durante o período de carência. O juro mensal calculado e acumulado durante esse período será cobrado nas prestações imediatamente seguintes ao período de carência, mantendo o valor normal da prestação. Assim, o prazo do contrato será prolongado pelo período de carência acrescido do número de meses necessários até que sejam integralmente pagos os juros deste período. A prestação mantém-se inalterada.

    • Carência de Capital e Juros, com manutenção do prazo: suspensão total dos pagamentos durante o período de carência. O juro mensal calculado e acumulado durante esse período será cobrado nas prestações imediatamente seguintes ao período de carência, mantendo o prazo remanescente do contrato inalterado. Desta forma, o contrato será prolongado na exacta medida do período de carência, mas a prestação será incrementada, para acomodar o pagamento dos juros deste período.

     

  • O meu seguro de protecção ao crédito mantém-se válido pelo período da moratória?

    Sim, o seu seguro de protecção ao crédito será prolongado em conformidade com o novo prazo do contrato, mantendo-se a cobertura dos respectivos riscos durante o período de carência, sem qualquer custo adicional para si.

     

    Para os contratos que se encontrem dentro da moratória pública e que em Setembro beneficiem de uma extensão automática da maturidade por um período de 12 meses será devido um prémio adicional que será cobrado tendo por base o capital em dívida e o acréscimo do prazo decorrente da atribuição de carências

  • Posso desistir da moratória a qualquer momento?

    Sim, a qualquer momento poderá optar por interromper a moratória e retomar o plano normal do seu contrato, com efeito à data em que o pedido seja realizado. Para o efeito, bastará que encaminhe o seu pedido para [email protected].

  • O meu crédito será reportado ao Banco de Portugal como renegociado?

    A comunicação do estado do seu contrato à Centralização de Riscos de Crédito do Banco de Portugal manter-se-á inalterada com a moratória. Ou, seja, se a moratória foi aplicada com o contrato em estado regular, este continuará a ser reportado no mesmo estado.

  • Como sei se o meu pedido de adesão ou prolongamento da moratória foi aceite ou recusado?

    O Banco Credibom irá comunicar-lhe, por email, todas as alterações relevantes no seu processo: desde a validação das condições de elegibilidade à comunicação de concretização do processo, sendo sempre assegurado o envio de novo plano de pagamentos.

  • A que data a moratória tem efeito?

    O pedido será realizado com efeitos à data da entrega da declaração de pedido da moratória, salvo se o Beneficiário não preencher as condições necessárias.

  • Qual é o prazo de tratamento do meu pedido de moratória?

    Todos os pedidos estarão sujeitos à análise da elegibilidade pelo Banco Credibom dentro dos seguintes prazos, a considerar após a recepção de toda a documentação requerida.

     

    Moratória pública:

    • Aprovação: 5 dias úteis

    • Recusa: 3 dias úteis

    Moratória Privada:

    • Não aplicável (não são aceites novos pedidos de adesão). Os pedidos de prolongamento da moratória privada serão respondidos num prazo máximo de 5 dias úteis.

  • O que irá acontecer quando a moratória terminar?

    Por defeito, no final da moratória, seja pública ou privada, será retomado o plano de pagamentos definido.

     

    A exceção prende-se com os contratos de crédito que beneficiam da moratória pública e cujas entidades subscritoras desempenham uma atividade considerada sensível que poderão aceder a uma extensão automática da maturidade por um período de 12 meses.

     

    Esta extensão será suspensa imediatamente pelo Credibom, retomando -se, nesse caso, o perfil original de reembolso acrescido do período em que esses créditos foram diferidos por efeito das moratórias públicas que foram concedidas, nos seguintes casos:

    • Em caso de incumprimento, por parte do cliente, de qualquer obrigação pecuniária perante qualquer instituição; ou

    • Em caso de execução, por terceiro, de qualquer obrigação pecuniária do cliente dessa extensão ou em caso de arresto ou qualquer ato de apreensão judicial dos bens do cliente.

     

    Caso o cliente não pretenda beneficiar da extensão da duração do contrato por 12 meses deverá informar o Credibom até ao dia 31 de Agosto devendo para o efeito encaminhar o seu pedido para [email protected].

     

  • Como posso saber se actividade económica que desempenho é considerada “sensível” para efeitos da moratória pública?

    A lista de actividades sensíveis para efeitos da moratória pública e que permite aceder a uma carência de capital e juros até 30 de Setembro de 2021, assim como um prolongamento dos contratos por um período adicional de 12 meses é a que se encontra definida no Anexo do Decreto-Lei n.º 78-A/2020 de 18 de Setembro de 2020 e que se apresenta de seguida.

     

    CAE Designação
    45 Comércio, manutenção e reparação, de veículos automóveis e motociclos.
    46492 Comércio por grosso de livros, revistas e jornais.
    47610 Comércio a retalho de livros, em estabelecimentos especializados.
    47620 Comércio a retalho de jornais, revistas e artigos de papelaria, em estabelecimentos especializados.
    47630 Comércio a retalho de discos, CD, DVD, cassetes e similares, em estabelecimentos especializados.
    491 Transporte interurbano de passageiros por caminho-de-ferro.
    492 Transporte de mercadorias por caminho-de-ferro.
    493 Outros transportes terrestres de passageiros.
    494 Transportes rodoviários de mercadorias e atividades de mudanças.
    50 Transportes por água.
    51 Transportes aéreos.
    55 Alojamento.
    56 Restauração e similares.
    581 Edição de livros, de jornais e de outras publicações.
    59 Atividades cinematográficas, de vídeo, de produção de programas de televisão, de gravação de som e de edição de música.
    60 Atividades de rádio e de televisão.
    639 Outras atividades dos serviços de informação.
    731 Publicidade.
    74 Outras atividades de consultoria, científicas, técnicas e similares.
    771 Aluguer de veículos automóveis.
    79 Agências de viagem, operadores turísticos, outros serviços de reservas e atividades relacionadas.
    823 Organização de feiras, congressos e outros eventos similares.
    85 Educação.
    86 Atividades de saúde humana.
    87 Atividades de apoio social com alojamento.
    88 Atividades de apoio social sem alojamento.
    90 Atividades de teatro, de música, de dança e outras atividades artísticas e literárias.
    91 Atividades das bibliotecas, arquivos, museus e outras atividades culturais.
    93 Atividades desportivas, de diversão e recreativas.
    94991 Associações culturais e recreativas.
    96 Outras atividades de serviços pessoais.
  • O Banco Credibom tem uma política de gestão de reclamações?

    Sim, o Banco Credibom tem uma política de gestão de reclamações que entre outras regras, visa estabelecer os mecanismos adequados à gestão de reclamações, garantindo práticas uniformes do mercado e facultando indicações sobre os procedimentos que se podem esperar nesta gestão.

  • Quem pode apresentar uma Reclamação?

    As reclamações podem ser apresentadas por pessoas individuais e/ou coletivas.

  • É possível apresentar uma Reclamação em nome ou a pedido de terceiros?

    Sim, é possível apresentar uma reclamação em nome próprio e a pedido de terceiros.

    A resposta será enviada para o apresentante da reclamação desde que este esteja mandatado para o efeito através de procuração.

  • A apresentação de uma reclamação tem custos?

    Não. A apresentação da reclamação não tem custos para o reclamante.

  • Como apresentar uma Reclamação?

    As reclamações poderão ser apresentadas através de qualquer dos seguintes canais:

    1. E-mail: [email protected]
    2. Carta: Dirigida Banco Credibom – Área de Reclamações, Lagoas Park, Edifício 14 Piso 2, 2740-262 Porto Salvo
    3. Livro de Reclamações Físico: Disponível em todos os estabelecimentos do Credibom
    4. Livro de Reclamações Eletrónico: Disponível no site do Banco Credibom em "Livro de Reclamações"
    5. Presencial: Em qualquer local de atendimento do Banco Credibom, S.A

     

  • Existe algum formato específico para reportar uma reclamação?

    Não, o Banco Credibom não obriga a nenhum formato para a apresentação da reclamação.

    Deve apenas garantir que a reclamação inclui os seguintes requisitos:

    1. Nome completo do reclamante e, caso aplicável, da pessoa que o represente;
    2. Referência à qualidade do reclamante, designadamente de tomador de seguros, segurado, beneficiário ou terceiro lesado ou de pessoa que o represente;
    3. Dados de contacto do reclamante e, caso aplicável, da pessoa que o represente;
    4. Número do documento de identificação, (preferencialmente fiscal) do reclamante;
    5. Descrição dos factos que motivaram a reclamação, com identificação dos intervenientes e da data em que os factos ocorreram, exceto se for manifestamente impossível;
    6. Elementos adicionais que o reclamante considere necessários para a gestão da sua reclamação;
    7. Data e local da reclamação.

     

  • Qual o prazo de resposta às Reclamações?

    O prazo máximo de resposta a uma reclamação é de 20 dias, dependendo do canal de apresentação.

    Quando o Banco Credibom não possa observar os prazos internos definidos para a gestão de reclamações, informará com a brevidade possível o reclamante, indicando que o processo se encontra em análise e será concluído com a maior celeridade.  

  • Quem responde às Reclamações apresentadas?

    A resposta é garantida pela Departamento Experiência do Cliente, através da sua Área de Reclamações, uma equipa especializada, que assegura o tratamento de forma imparcial, transparente, célere e fundamentado.

  • Todas as Reclamações serão alvo de resposta?

    Sim. Só as Reclamações anónimas e/ou utilizadoras de vocabulário impróprio poderão não ser objeto de resposta.

    O Banco Credibom assegurará a resposta às reclamações que não cumpram os requisitos previstos, desde que consiga identificar o Interessado e/ou a situação descrita.

  • Todas as Reclamações são aceites?

    O Banco Credibom não poderá aceitar reclamações que:

    1. Sejam omitidos dados essenciais para identificação, análise e tratamento do processo que inviabilizem a respetiva gestão, e que não sejam devidamente corrigidos após solicitação do Credibom;
    2. Sejam repetição de reclamações que sejam apresentadas pelo mesmo reclamante em relação à mesma matéria e que já tenham sido objeto de resposta por parte do Banco;
    3. A reclamação seja apresentada de má fé ou o respetivo conteúdo for qualificado como vexatório;
    4. A reclamação apresentada deva ser tratada exclusivamente pelos meios judiciais ou arbitrais.

     

  • Como acompanhar a situação de uma Reclamação?

    É possível acompanhar a situação de uma Reclamação junto de qualquer local de atendimento do Banco Credibom, através de email para [email protected] ou por telefone para o nosso numero de atendimento ao cliente 214138573.